segunda-feira, março 26, 2007

A Lição de Salazar.....depois do 25 de Abril de 1974

Os Portugueses elegeram ontem Salazar como o maior Português de sempre!
Após ter verificado alguns comentários em algumas páginas da Internet deduzo que em alguns casos existem pessoas que tem vergonha da votação de ontem, outros apontam o dedo ao actual estado de coisas, corrupção, estado, lobbies, má gestão da despesa pública e aumento das assimetrias sociais.
Assisti ontem ao programa “ Os Grandes Portugueses” no entanto, lamenta – se o comportamento de alguns dos convidados, nomeadamente se esses convidados tem um papel activo na politica actual portuguesa.
Só por aquele tipo de comportamento e reacção entre picardias e comentários por parte de alguns elementos do público e determinada convidada vem demonstrar a falta de respeito que existe entre a classe politica e os cidadãos em Portugal.
Se por um lado falar de uma forma agressiva e prepotente perante certas perguntas mostra má educação, gargalhadas e apupos por parte do público em relação à forma de exprimir a sua opinião perante o que era apresentado também não é bonito.
Perdeu o debate com isso e perdeu quem quis conhecer um pouco mais de história deste nosso Portugal
Quanto à escolha de Salazar no meu entender foi uma bofetada de luva branca em muitos sectores aristocratas da nossa classe politica nomeadamente, intelectuais XPTO com o cartão de militante do partido A ou B.
A meu ver e mais importante que isso deve – se referir o descrédito da classe politica portuguesa actual, que dia a dia se rodeia de tudo o que luxo e entretêm o povo Português com futebol, e com promessas da Alice no país das Maravilhas (encerramento de maternidades, escolas, Centros de Saúde)!!!!!!!!
No entanto não se deve esquecer a repressão do Estado Novo a valores como a liberdade e a democracia, valores esses que permitem que programas como este sejam exibidos de acordo com a liberdade de pensamento de cada um!

1 comentário:

Fernando disse...

Concordo com quase tudo o que disse, mas relembro que não é só falta de liberdade ou de expressão, que existia na altura. Fala-se também da miséria, da fome, da exploração dos trabalhadores, da falta de cuidados de saúde, de uma mortalidade infantil das mais altas do mundo...