domingo, março 04, 2007

O Museu

“- A Praça 25 de Abril e a Rua Humberto Delgado, em Santa Comba Dão, foram, ontem, durante mais de quatro horas, palco de confrontos verbais entre resistentes antifascistas que se opõem à criação do museu do Estado Novo no Vimieiro, terra natal de Oliveira Salazar, e populares que classificaram a iniciativa de "pura provocação".Vivas ao ditador, gritados por centenas de pessoas que se posicionaram na praça, cruzaram-se, durante toda a tarde, com 'Grândola Vila Morena' entoada por homens e mulheres de punho erguido e cravo vermelho ao peito.”- Jornal de Noticias 04/03/07
Aí está um assunto que continua um autentico tabu em Portugal, e ontem foi prova disso com os confrontos verbais em Santa Comba Dão.
Toda a história é feita de bons e maus momentos, estes devem ser recordados e preservados, para que as gerações vindouras conheçam, a historia e percebam a actual situação do mundo onde vivem.
Salazar a meu ver foi um politico que marcou e muito Portugal na sua historia contemporânea tinha o seu ideal de governação assente no politica muita própria, onde o rigor financeiro do estado contrastava com um total isolamento e repressão politica ao nível de valores como a liberdade de pensamento, abertura de Portugal aos novas ideologias politicas, usos e costumes que eclodiam nos países democráticos de então.
Quer se goste ou não a sua memória e o seu contributo deve ser preservado assim como o de outros Portugueses, como o caso de Álvaro Cunhal, Marques de Pombal, Aristides de Sousa Mendes etc.
A criação de o Museu ainda por cima numa área como a de Santa Comba Dão, desprovida de níveis de investimento público e privado comparado com o das grandes áreas metropolitanas portuguesas pode ser um factor gerador de emprego e dinamizar a economia local.
Vergonhoso sim é o facto de certos grupos de esquerda e de estrema direita aproveitarem o nome de Salazar, e se irem concentrar numa pacata localidade Portuguesa como é Santa Comba Dão dando – se ao luxo de criar desacatos e criar despiques e picardias entre a população local.
Museu sim direito à memoria sempre…. Agora palhaçadas e aproveitamentos políticos em nome da Historia não!

1 comentário:

al cardoso disse...

O Salazar como quase todos os politicos nacionais, teve coisas boas e mas, nem umas nem outras devem tentar ofuscar as outras.
Alem disso para que as geracoes que o nao conheceram possam pensar pela sua cabeca, nao vejo nada errado em lhe fazerem um museu, so la ira quem quer.
Isto digo eu, que nunca fui amante da sua governacao ultima, que foi a que conheci embora mal.

Um abraco do d'Algodres.