quarta-feira, agosto 22, 2007

Poupanças a Quanto Obrigas......

"A administração local registou uma redução substancial do endividamento líquido bancário relativamente ao período homólogo do ano anterior.Só no primeiro semestre do ano registou-se uma contenção em cerca de 114 milhões de euros, com base no boletim estatístico do Banco de Portugal de Agosto de 2007.
O endividamento líquido bancário da administração local, apresentou no final do primeiro semestre de 2007 um saldo superavitário de 29 milhões de euros.
Este valor resulta da diferença entre os saldos dos passivos (dívida que decorre de financiamento bancário) e os activos dos municípios face às instituições financeiras (depósitos e títulos).
Com base no mesmo estudo as contas dos municípios portugueses apresentam no final do 1º semestre um saldo positivo de 227,3 milhões de euros. Este resultado, que decorre da diferencia apurada entre as receitas e despesas dos Municípios, contribui de forma positiva para redução do défice global das administrações públicas.
Relativamente ao 1º semestre do ano passado, os excedentes das contas dos municípios aumentaram 94 milhões de euros, o que representa uma variação positiva de cerca de 70% face ao período homólogo de 2007.
Recorde-se que no primeiro semestre do ano, o subsector Estado apresenta um défice de 3330,3 milhões de euros, tornando-o o único responsável pelo défice público em Portugal mesmo beneficiando do superávite dos municípios portugueses." - In Agência Financeira de 22 de Agosto de 2007.

Imaginem o que se tinha poupado se os "boys" deste país, não tivessem entrado um pouco por todo o país por "baixo da mesa", como assessores de elementos das vereações vigentes, e directores de empresas municipais.

Vale a pena também dizer que este ritmo de poupança, deve ser aplicado não apenas para combater o endividamento autárquico, mas também, para melhorar as condições de vida dos portugueses por parte das autarquias, desde o estacionamento, passeios, transportes, infra - esturas desportivas e recreativas, ganha o país e os portugueses!

2 comentários:

al cardoso disse...

Parece que nas autarquias se comeca a sentir o pais real, esparamos todos, que o mesmo passe a ser mote para o governo!

Um abraco de amizade.

A. João Soares disse...

Bom post e bom comentário de Al Cardoso. Recordo a iniciativa do município de Penalva do Castelo que baixou o encargo dos munícipes em IRS.
Se houver moralidade nas autarquias, em geral, poderemos recuperar dos erros dos político do Poder central que se sentirão na obrigação de seguir um rumo mais honesto.
Gostei da referência à entrada dos «boys» por baixo da mesa. Também a invenção mefistofélica dos assistentes pessoais dos deputados da Nação merece ser debatida. Qualquer dia os deputados que já faltam descaradamente aos plenários e às reuniões das comissões, qualquer dia passam a enviar os seus assistentes!!! É uma rebaldaria. O povo que pague!
E a comunicação social ignora estes abusos.
Abraço