sexta-feira, fevereiro 01, 2008

Rio de Mouro = Vítima do Betão!!!!!


"Sintra – Agentes da polícia, fardados e à paisana, vão acompanhar o funeral dos dois jovens assassinados em Rio de Mouro no passado fim-de-semana, para evitar confrontos entre grupos rivais, avançou hoje a RTP.

No fim–de-semana passado, dois jovens foram assassinados a tiro junto à estação de Rio de Mouro num suposto ajuste de contas entre grupos rivais.

A decisão de vigiar os funerais para evitar novos confrontos foi tomada durante uma reunião que ontem à noite juntou responsáveis pelas forças policiais do concelho de Sintra, o presidente da câmara e juntas de freguesia.

A reunião foi marcada depois de a Procuradoria-Geral da República ter manifestado preocupações com possíveis incidentes nos funerais das vítimas do tiroteio." - Jornal Digital de 1 de Fevereiro de 2008.


Em Janeiro de 1999 se não me falha a memória, pois tenho o original guardado no meu bau que se encontra algures na "minha serra", escrevi no Jornal "O Correio de Sintra", que crianças de Rio de Mouro iriam perder mais uma infra - estrutura desportiva e didática, um parque infantil e um pequeno ringue de futebol.

A perda desta infra - estrutura foi motivada pela construção da nova estação de caminho de ferro, pois o terreno situava - se numa zona adjacente ao caminho de ferro, pertencente à REFER.

Escrevi nessa crónica, que os jovens que usavam o referido ringue de futebol, apesar de não possuir nenhumas condições fisicas para a prática do mesmo, era onde muitos jovens de risco se entretiam a jogar.

Joguei com muitos deles, perdi, ganhei, vibrei, zanguei me, fui feliz, no meio de um pequeno campo, em que todos partilhavamos o mesmo pequeno espaço sem grandes atritos.

Na altura alertei que a maior carência de Rio de Mouro era a falta de infra - estruturas desportivas, e que isso seria um foco de conflito por parte de muitos jovens vitimas de exclusão social, a falta de ocupação fisica ou mental, seria portanto um rastilho para atiçar a pólvora da delinquência juvenil, naquela freguesia.

Os anos passaram - se e o betão continuou a crescer, e nada de infra - estruturas sócio - culturais na freguesia que respondam às necessidades da população em geral.

O resultado está à vista, os culpados, vai desde os autarcas cada vez mais preocupados apenas com o seu umbiguo, bem como a população que nunca se soube organizar cívicamente e criar formas de protesto a exigir melhor qualidade de vida.

O resultado está à vista e as televisões tentam semelhar o clima de medo e de pânico na zona em nome das audiências.

Que todos os jovens de da Rinchoa, Rio de Mouro, Serra das Minas, exigiam a quem de direito melhores condições para estes, para demonstrar mos ao país que sabemos ser exigentes com a nossa qualidade de vida.

1 comentário:

al cardoso disse...

Olhe meu amigo ja que gostam tanto de imitar as coisas mas(com acento) dos "states", de vez em quando deviam imitar as boas, por ca nas decadas de 50 e sessenta do seculo passado, tambem se construiram muitas cidades residenciais como essas que alude, que devido a problemas semelhantes ja foram demolidas e constuidos bairros de vivendas, pois chegaram a conclusao que por muita gente a viver em espacos pequenos, traz muitos mais problemas!
Em Portugal infelizmente continuamos com meio seculo de atrazo!
Nao me admira que brevemente vejamos os mesmos problemas de que se depara Franca!
A expeculacao imobiliaria e o que da, para eles e para os politicos que a promovem e quem vier de traz que feche a porta!!!

Um abraco de amizade dalgodrense.

Entao e ja ha algumas novidades?