sexta-feira, julho 04, 2008

Estado magro para todos» Uma nova ideia de LIBERALISMO!!



Na Foto Adam Smith, um dos teóricos do liberalismo.

Pela primeira vez aqui no meu blog, vou defender uma ideologia politica, existente, apenas porque acredito que esta pode ditar, o fim da corrupção elitista, e desrespeitosa que existe no panorama português.
A meu ver o estado, é um peso responsável pela crise que afecta os portugueses ao nível da sua confiança na economia e na sociedade.
Ele cobra impostos, não os aplica de forma a proporcionar bem estar à sua população, e é responsável pela asfixia económica de muitas empresas, nomeadamente as micro - empresas e pequenas empresas.
Depois cria códigos de trabalho, da idade média, para defender os grandes interesses económicos que se alimentam de mão de obra, pouco instruída, mal paga e explorada, para não falar que muitos destes grandes grupos económicos de portugueses nada têm, que estimulem o real panorama produtivo português, em muitos casos muitas não pagam impostos por deliberação do ESTADO, não criam acções de formação profissional entre os seus quadros, não estimulam e dinamizam o produto português por forma a este ser competitivo, e no fim ainda fogem de Portugal, quando encontram economias onde se pratica salários mais baixos.
A meu ver o país têm muito a ganhar, com a criação de condições para o investimento produtivo português, em micro - dimensão, com altos quadros qualificados, dinâmicos e inovadores, mas essencialmente A NÃO INTERVENÇÃO DO ESTADO NESTAS EMPRESAS A NÍVEL FISCAL, nos propósitos em que este se apresenta, que reduza o IVA às micro empresas, que não as sobrecarregue de licenças e taxas que apenas servem para alimentar os tachos e boys deste monstro que é o ESTADO.
Sim, o país a meu ver necessita do LIBERALISMO, na verdadeira acepção da economia para as pequenas empresas que queiram criar um tecido produtivo capaz de fazer face aos desafios de futuro.
O estado que nos crie uma saúde ao nível do Luxemburgo, e que aposte na educação como a Irlanda, que mande os corruptos que nos atrofiam economicamente com a "hipocrisia do apertar do cinto", para trabalhos comunitários, nas fossas de Portugal.
Que as grandes empresas nacionais, possam crescer com as mesmas condições fiscais, que crescem na Itália, que apesar da eterna instabilidade governativa a economia sempre soube servir a população com excepção da Secilia ( por razões criminais).
Que as porcarias das multinacionais que vão para a p.... que pariu, que a meu ver só trazem prejuizos, e são beneficiadas de forma injusta pelo MONSTRO ESTADO PORTUGUÊS em nome do combate ao desemprego que este em muito contribui para o criar.
E por fim que a acção de pagar impostos seja, um dever civico e moral de bem comum, mas que estes não asfixiem os portugueses, e sejam APLICADOS NAS NECESSIDADES REAIS PORTUGUESAS.

1 comentário:

al cardoso disse...

Em suma, um estado cada vez menor e mais competente e eficiente!

Escreveu tudo quanto me ocorre.

Um abraco de amizade dalgodrense.