sábado, abril 07, 2007

Que as Crianças nos Perdoem.....


“O relatório do grupo de peritos, reunidos em Bruxelas, revelou ontem que cerca de 20 a 30 por cento das espécies vegetais e animais correm o risco de desaparecer se o aumento da temperatura mundial passar de 1,5 para 2,5 graus centígrados. Por outro lado, o Giec afirma que serão as populações pobres, mesmo em sociedades prósperas, as mais vulneráveis às mudanças climáticas.
Investigadores de mais de uma centena de países integrados no Painel Intergovernamental da Mudança Climática (Giec) aprovaram hoje em Bruxelas o relatório sobre a vulnerabilidade e o impacto que este processo terá no ambiente e na sociedade.
De acordo com fontes da reunião, a Rússia, a China e a Arábia Saudita foram os países que fizeram retardar a concretização do acordo ao questionarem partes deste.
É a segunda reunião do painel intergovernamental, após o encontro em Paris de Fevereiro passado. Está previsto que o painel volte a reunir-se em Banguecoque e Valença, em Novembro, onde será apresentada uma síntese do seu trabalho para remeter aos governos.
A publicação do relatório chegou a estar em risco, segundo anunciou hoje de manhã um porta-voz do Giec, esclarecendo que a negociação estava bloqueada por razões políticas.
A conferência de imprensa prevista para hoje pelo Grupo Intergovernamental esteve para ser adiada, uma vez que vários países contestavam parágrafos chave do «resumo das intenções de decisão» do relatório do Giec.
A China, a Arábia Saudita, a Rússia e os Estados Unidos eram os principais países a «fazer obstrução», de acordo com vários delegados. O relatório, com um total de 1.400 páginas, destina-se a esclarecer os governos do planeta sobre os aspectos científicos, económicos e humanos do aquecimento global.”- Extracto de noticia do “SOL digital”.

Quando há cerca de alguns meses vi o documentário de ex. Candidato a presidente dos EUA, Al Gore, com o título “Uma Verdade Inconveniente” fiquei alarmado, pois utopicamente e ingenuamente nunca pensei que o aquecimento global resultante da produção de co2, já tivesse consequências de tal forma desastrosas em muitas partes do mundo.
Falando com outras pessoas e ouvindo comentários um pouco por todo o lado, lendo também artigos a respeito do filme, fiquei com uma ideia muito própria do filme.
Não acredito que Al Gore esteja a aproveitar – se deste triste fenómeno para procurar protagonismo politico contra a actual administração Bush, nem que seja uma forma de mediatismo.
Parece me ser sim um alerta global contra este verdadeiro acto terrorista, que é a poluição em nome do crescimento económico, da chamada prosperidade económica, do emprego, etc.
Ouvindo ontem as noticias a respeita da Conferencia realizada por estes dias em Bruxelas põem – se uma questão os líderes mundiais que mais poluem não estão dispostos a abdicarem de nada a nível de reter a libertação de CO2 para a atmosfera e travarem o aquecimento global.
Quem se preocupa e alerta com esta questões é logo apelidado de extremista, radical, alarmista, utópico, e querer aproveitamento político.
Apupos à parte, o clima tem estado a mudar em todo o mundo com consequências para a toda a população mundial, é tempo de fazer – se algo, a começar por alterar toda a politica belicista actual imposta pelos senhores do mundo, temo que as gerações vindouras não nos perdoem pela nossa passividade em relação às alterações climáticas.
É muito provável que a Terra continue a sofrer com a acção do homem, pois grande parte das nossas acções no dia a dia, envolvem algum foco de poluição!
Contudo apenas depende de nós cidadãos mundo alterar o actual estado das coisas!

1 comentário:

al cardoso disse...

Realmente so quem for cego e que nao se da conta das mudancas atmosfericas, esta Pascoa no estado em que resido mais parecia Natal, toda a gente de sobretudo e ate nevou!!!

Um abraco do d'Algodres.